| SOCIEDADE

Completam-se 11 anos da morte de Néstor Kirchner: o Presidente da Argentina que revalorizou a política e apostou na estratégia regional

O ex-presidente Néstor Carlos Kirchner, que liderou um período caracterizado pela revalorização da política e a estratégia regional, como um elemento de transformação, faleceu há 11 anos, em 27 de outubro de 2010, como consequência de uma doença cardiovascular quando estava em El Calafate, província de Santa Cruz (sul da Patagônia).

Telam SE
26-10-2021 | 20:43
Néstor Kirchner, nascido em 25 de fevereiro de 1950 em Río Gallegos, província de Santa Cruz, exerceu a presidência da República Argentina entre 2003 e 2007; e, durante três períodos governou sua província natal (1991-1995; 1995-1999; 1999-2003). Antes, foi prefeito da  sua cidade, Río Gallegos(1987-1991).

O expresidente Nstor Kirchner e sua familia
O ex-presidente Néstor Kirchner e sua familia

Tinha negociando uma baixa para a dívida que a Argentina havia inadimplido na crise de 2001; promoveu a mudança do Supremo Tribunal Federal e iniciou a anulação das leis de Obediência Devida, Ponto Final e os Indultos de Carlos Menem, sendo estes os eixos dos primeiros meses de governo, tomando posse em 25 de maio de 2003.

Seu governo conseguiu, em 2005, uma primeira troca de dívida, com a aceitação de 76% dos credores privados, e cancelou as obrigações com o Fundo Monetário Internacional (FMI), obtendo superávit fiscal e aumentando as reservas monetárias do país.

No plano internacional, buscou a unidade regional e a aproximação com os governos de Luiz Inácio Lula da Silva, no Brasil, e de Hugo Chávez, na Venezuela, com os quais formou uma importante aliança estratégica.

Kirchner deixou o governo em 2007 nas mãos de Cristina Fernández de Kirchner, que em outubro daquele ano foi eleita presidente por 47% dos votos, e manteve sua liderança à frente do projeto político personificado pelo partido Frente para la Victória. 

También te puede interesar