24/09/2021 ECONOMIA

O objetivo do governo nacional que o Imposto de Renda incida apenas sobre 10% dos assalariados

O ministro do Trabalho, Claudio Moroni, explicou que o objetivo do governo "manter uma populao tributada pelo Imposto de Renda prxima a 10% dos assalariados", que "representam entre 25% e 26% da massa salarial total", ao explicar o aumento do piso de tributao para 175.000 pesos e que isenta 1.267.000 trabalhadores de pag-lo.

A medida "entra em vigor a partir de setembro, não é retroativa", disse Moroni em entrevista coletiva na Casa Rosada, ao final de reunião que manteve com o presidente Alberto Fernández. O responsável esclareceu que “às empresas que já fizeram os acordos, as retenções, os números serão devolvidos pela AFIP”.

O ministro do Trabalho, Claudio Moroni
O ministro do Trabalho, Claudio Moroni

Além disso, o ministro explicou hoje que o décimo terceiro salário ou salário complementar anual de dezembro não estará atingido pelo Imposto de Renda para os trabalhadores “cujo salário no segundo semestre seja em média inferior a $ 175 mil pesos”.

Entre os fundamentos, Moroni destacou que “com o avanço dos salários, o universo de assalariados de quarta categoria que pagavam o tributo era maior”, aproximadamente “20%”, e referiu que “a ideia do governo, através do Poder do Executivo é manter uma população tributada próxima a 10%”.

“É preciso entender o conceito de que paga 10% de assalariados com maior remuneração salarial, que é 25% ou 26% da massa salarial total”, disse Moroni, que considerou “uma solução justa” para que “isso não chegue mais a esse 20%". “Não queremos mais do que isso”, apontou em referência ao 10% dos assalariados que pagam, “mas nem menos do que isso”, completou Moroni.