13/09/2021 POLÍTICA

“O governo nacional tem o compromisso de ouvir a mensagem das urnas”, afirma ministro-chefe da Casa Civil

O ministro-chefe da Casa Civil, Santiago Cafiero, disse que o resultado eleitoral é um reflexo de quanto "a pandemia" de Covid "fez sofrer a população", e considerou "lógico" que esse desconforto tenha sido evidenciado nas votações das primárias abertas, simultâneas e obrigatórias (PASO), reafirmando que o governo nacional “tem o compromisso de ouvir a mensagem das urnas”.

“Vamos ouvir a mensagem de ontem. Sabemos para que nos votaram: para que possamos gerar trabalho, e para melhorar a vida que tivemos e que queremos recuperar. Vamos fazê-lo independentemente do resultado eleitoral", disse Cafiero hoje de manhã.

O Ministro-chefe da Casa Civil, Santiago Cafiero
O Ministro-chefe da Casa Civil, Santiago Cafiero

Nesse contexto, afirmou que “as medidas de cuidado que do ponto de vista da pandemia foram úteis, do ponto de vista eleitoral, geraram um clima muito adverso”. 

Assim, ao referir-se ao avanço da oposição registado nas urnas, Cafiero argumentou que o Governo “tem o compromisso de ouvir a mensagem das urnas”.

“Votamos em pandemia e continuamos em pandemia. O presidente (Alberto Fernández) tomou a decisão de cuidar da população e disse em várias ocasiões que não se importava em perder votos por isso”.

Cafiero também destacou que o Chefe de Estado, a vice-presidenta Cristina Fernández de Kirchner e o FdT têm como objetivo "reativar a economia", e que para isso devem "trabalhar o dobro para recuperar a confiança" dos cidadãos nas eleições gerais de 14 de novembro.