23/07/2021 SOCIEDADE

Pesquisa argentina com nanotecnologia de clulas-tronco destaque na revista Science

Uma pesquisa argentina que incorporou nanopartculas magnticas em clulas-tronco transplantadas em ratos para direcion-las ao nervo citico lesado e assim potenciar sua capacidade regenerativa foi recentemente destacada pela revista internacional Science por propor uma estratgia inovadora em nanobiotecnologia.

"As células-tronco são aquelas células indiferenciadas (que não possuem características de um tecido ou órgão como sistema nervoso, fígado, pulmão ou rim) e podem se dividir e originar outras células indiferenciadas ou células de tecidos diferentes", explicou hoje a doutora em bioquímica Patricia Setton-Avruj, uma das líderes da investigação e pesquisadora do Conselho Nacional de Pesquisas Científicas e Técnicas (CONICET).

Nanobiotecnologia
Nanobiotecnologia

O uso de células-tronco na medicina regenerativa se baseia em duas características desse tipo de células: sua capacidade de autorrenovação (a capacidade de se dividir facilmente para dar origem a uma nova célula-tronco e uma célula filha) e a plasticidade (a capacidade de dar origem a células de diferentes órgãos ou tecidos).

Esta pesquisa foi publicada recentemente na revista especializada em nanobiotecnologia Acta Biomaterialia (https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S1742706121003603) e destacada pela prestigiosa revista científica Science (https: // science. sciencemag.org/content/372/6548/1301.6).

O projeto foi liderado por Setton-Avruj, que é professora da Universidade de Buenos Aires (UBA) e membro da diretoria do Instituto de Química e Físico-Química Biológica (Iquifib) da UBA-Conicet; Paula Soto, formada em genética, que desenvolveu sua tese de doutorado sobre este tema no Iquifib como bolsista do Instituto de Pesquisas Conicet, e a doutora em Física Marcela Fernández van Raap, professora da Universidade Nacional de La Plata (UNLP) e pesquisadora principal do Instituto de Física (IFLP) UNLP-Conicet.