30/03/2021 POLTICA

Promotora da justia pede interrogatrio para ex-chefes de inteligncia por espionagem ilegal a jornalistas e polticos durante o governo do Macri

A promotora federal da justia Paloma Ochoa pediu sejam citados a interrogatrio os ex-chefes da Agncia Federal de Inteligncia (AFI) do governo de Cambiemos, Gustavo Arribas e Silvia Majdalani, no processo que apura supostas operaes de inteligncia ilegal contra jornalistas, acadmicos e organizaes sociais e polticas.

A representante do Ministério Público Fiscal apresentou o requerimento perante o Juizado Federal Nº 11, responsável pelo juiz substituto Julián Ercolini, e reclamou também que sejam chamados a interrogatório o ex-diretor de Eventos Especiais da AFI, Carlos Tonelli Banfi, e o ex-diretor de Contra-inteligência da central de espiões, Martín Coste, informaram fontes judiciais.

Silvia Majdalani e Gustavo Arribas
Silvia Majdalani e Gustavo Arribas


Trata-se de um processo iniciado a partir de uma denúncia da auditora da AFI, Cristina Caamaño, depois que em janeiro de 2020 foram encontradas em uma caixa forte do organismo fichas pessoais com dados de uns 400 jornalistas e acadêmicos que tinham solicitado credenciamento para cobrir ou participar das cúpulas da Organização Mundial do Comércio (OMC) e do G20, realizadas na Argentina em 2017 e 2018, respectivamente.

A confecção dessas fichas com informação de inteligência tinha sido requerida à AFI pelo Ministério da Segurança, comandado naquela época pela atual representante do partido PRO, Patricia Bullrich, e dentro da central de espiões o responsável pela tarefa era a Direção de Eventos Especiais que, uma vez completado o trabalho, o reenviou para a área de Contra-inteligência, segundo foi informado.