03/03/2021 CULTURA

Exposio internacional para apagar fronteiras etrias, raciais e sociais no Centro Cultural Kirchner

"Quando o mundo muda. Perguntas sobre arte e feminismo", uma exposio que aborda questes do feminismo mais contemporneo, que vai da construo de esteretipos sobre o desejo e a sexualidade em pessoas no videntes at uma artista mapuche que pesquisa assuntos vinculados com sua identidade, abre suas portas amanh no Centro Cultural Kirchner de Buenos Aires.

Próximos ao dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher, a exposição desdobra projetos que não necessariamente constituem uma sequência narrativa, uma seleção de cinco artistas que conformam um mapa geográfico e geracional diverso, e que inclui questões relacionadas com a identidade, a relação com o espaço e as pessoas.

Centro Cultural Kirchner
Centro Cultural Kirchner


Concebida com a ideia de que o feminismo proporcionou durante a crise uma extraordinária caixa de ferramentas - que apagou fronteiras etárias, raciais e sociais nas ruas-, a exposição alberga artistas que conformam experiências de subjetividade, como o caso da Aline Motta (Niterói, Brasil, 1974) que registra viagens realizadas por cidades de água do Brasil e da África, conectadas pela escravidão, nas quais indaga suas origens.

As obras de Motta, Esther Ferrer, Joiri Minaya, Pau Delgado Iglesias e Sebastián Calfuqueo propõem agendas de feminismos diversos, potentes em termos históricos, urgentes em termos contemporâneos. Mais informações em: www.cck.gob.ar