01/03/2021 POLTICA

Presidente Alberto Fernndez promover "ao criminal" por dvida contrada pelo ex-presidente Macri e destaca campanha de vacinao

Na abertura do 139 perodo de sesses ordinrias, o presidente Alberto Fernndez discursou perante a Assembleia Legislativa, destacando a ao de seu governo contra a pandemia, e anunciando que promover a apresentao de uma "ao criminal" destinada a determinar crimes cometidos durante a dvida contrada pelo Governo do ex-presidente Mauricio Macri, listando tambm diversas iniciativas para melhorar o servio da administrao de justia.

"Já dei instruções para que seja promovido um processo criminal para determinar quais foram os autores da maior administração fraudulenta e utilização irregular de fundos públicos da história", se referindo à dívida tomada entre 2015 e 2019. O presidente aludiu ao "endividamento asfixiante" do país, e pediu perante a Assembleia Legislativa para "nunca mais" tomar estes "empréstimos irresponsáveis".

O Presidente Alberto Fernández
O Presidente Alberto Fernndez


O presidente afirmou: "não deixarei de trabalhar para ser o presidente de uma Argentina unida", embora sublinhasse que não deixará se "arrastar por nenhum tipo de provocação, venha de onde vier". "Quanto mais profunda foi a crise, meu espírito mais se endureceu", manifestou e destacou: "A imensa maioria do nosso povo sabe que nós vamos no caminho da recuperação".

Fernández manifestou que o "diálogo vai contribuir no processo de desinflação" e, nesse sentido, elogiou as mesas que estão trabalhando com sindicalistas e empresários sobre preços e salários. "Cada setor deve estar disposto a contribuir. Ninguém se salva sozinho. É central, coordenar os esforços para que o salário vença a inflação", disse.

"Também com a certeza de que unidos podemos dar passos históricos para mitigar os efeitos negativos da pandemia, os quais continuam sendo devastadores", afirmou Fernández, e pediu  "reflexão coletiva" para as "forças políticas e para a sociedade", em "circunstâncias tão excepcionais" como as que estamos vivendo na Argentina e no mundo devido à pandemia do coronavírus.